segunda-feira, 28 de maio de 2018

Compreender as alucinações e delírios associados à doença de Parkinson (*)

As alucinações e delírios são um aspecto de Parkinson?
As alucinações (ver, ouvir ou observar coisas que não são reais) e delírios (acreditar em coisas que
não são verdade) são sintomas não motores da doença de Parkinson. Em suma, são conhecidos
como psicose da doença de Parkinson. Mais de metade das pessoas que vive com Parkinson terão
alucinações ou delírios durante o curso da sua doença.

O que provoca estas alucinações e delírios?
Atualmente não existe um conhecimento claro da causa exata das alucinações e delírios associados
a Parkinson, embora se acredite que determinados químicos e recetores do cérebro (como a
dopamina e serotonina) contribuam para tal. De um modo geral, crê-se que a condição seja
provocada por um dos seguintes fatores:

Efeito secundário da terapêutica com dopamina
As alucinações e delírios podem ser um efeito secundário de medicações de Parkinson habituais (designadas por terapêuticas dopaminérgicas). Estas medicações aumentam os níveis de dopamina no cérebro, ajudando a melhorar os sintomas motores em doentes com Parkinson. No entanto, o aumento dos níveis de dopamina pode também provocar alterações que levam a alucinações e delírios.

Progressão natural de Parkinson
As alucinações e delírios podem ser desencadeados por alterações no cérebro que ocorrem naturalmente à medida que a doença de Parkinson progride – independentemente de
tomar ou não quaisquer medicações que aumentem os seus níveis de dopamina.

Quem está em risco de desenvolver estes sintomas?
Não existe qualquer previsão certa de que pessoas com Parkinson irão desenvolver alucinações
e delírios. A condição está associada a um número de fatores de risco – tanto internos como
externos. Alguns destes fatores de risco incluem: idade, duração e gravidade da doença de Parkinson e a toma de medicações que aumentam os níveis de dopamina.

Como é que as pessoas descrevem as suas alucinações e delírios?
As pessoas usam, na descrição destes sintomas, termos frequentes como:

Porque é que não existe uma maior sensibilização em relação às alucinações e delírios associados à doença de Parkinson?
Não é raro que as pessoas com psicose associada à doença de Parkinson fiquem em silêncio em relação às suas experiências. Na verdade, apenas aproximadamente 10% a 20% notificam proativamente os seus sintomas aos seus médicos. Continuam a ser envidados esforços para aumentar a sensibilização sobre esta condição. Pode conhecer mais informação sobre os sintomas não motores associados à doença de Parkinson através de qualquer uma das seguintes organizações:

Como posso obter ajuda?
Em primeiro lugar, e mais importante, é falar caso observe quaisquer sintomas como alucinações
ou delírios. É essencial falar sobre todos os seus sintomas da doença de Parkinson com a sua equipa
de tratamento. O diálogo entre doentes, prestadores de cuidados e médicos é uma componente
fundamental no tratamento efetivo da sua condição.

Certifique-se de que pergunta sobre todos os seus sintomas ao seu profissional de cuidados de saúde – e o que pode ser feito para ajudar, incluindo opções de tratamento. Fonte: Nuplazid.

(*)ATENÇÃO: Este artigo foi extraído de anúncio publicitário “velado” do Nuplazid, medicamento destinado a alucinações do Parkinson, que foi aprovado precocemente nos EUA, em rito inusual no FDA, e que causou algumas mortes em usuários e por isso está sendo re-examinado. O tema é imensamente relevante, pois ainda não se tem um tratamento seguro para as alucinações do Parkinson.

Nenhum comentário:

Postar um comentário