segunda-feira, 26 de março de 2018

NENHUMA INDICAÇÃO DOS FATORES QUE ORIGINAM O PARKINSON

O tratamento implica um custo mensal que varia de mil a cinco mil pesos
20 por cento dos pacientes manifestam a doença antes dos 60 anos de idade

25/03/2018 - Parkinson é a segunda doença neurodegenerativa mais importante após a doença de Alzheimer; infelizmente, como na maioria das patologias que afetam o cérebro, não temos pleno conhecimento sobre o que origina, embora existam muitas teorias e o avanço da medicina seja suficiente na pesquisa para seu tratamento tanto em farmacologia quanto em alguns procedimentos cirúrgicos que incluem a estimulação profunda através de sistemas semelhantes ao marca-passo, que ajudam o paciente a ter uma melhor qualidade de vida.

No entanto, o médico fundamentalista Roberto Sánchez Torre, apontou que a causa principal ou que desenvolve a doença de Parkinson não está bem especificada; Alguns fatores de risco foram identificados, razão pela qual a pesquisa está focada na determinação desses aspectos; indicações como fatores ambientais, genéticos poderiam estimular o desenvolvimento da doença, entretanto, tem sido comprovado que existem pessoas que possuem esses aspectos genéticos e não o apresentam.

Sabe-se que a doença é multifatorial, no entanto, não foi possível determinar com certeza quais são esses fatores; Outra hipótese é que poderia ser uma doença de prions, que são proteínas que a influenciam, mas com certeza não há um fator determinante que cause o Parkinson, enfatizou o médico.

Ele explicou que no país é difícil de definir as taxas de prevalência da doença, uma vez que mesmo para os especialistas é difícil de diagnosticar, porque há pacientes com sintomas parecidos com Parkinson, mas não têm essa condição, bem como aqueles em que eles não detectam a doença, o que complica ter estatísticas reais sobre ela. "Estima-se que 50.000 novos casos de Parkinson são diagnosticados anualmente nos Estados Unidos; no México, infelizmente, as estatísticas não são as melhores."

O gerontologista também disse que, ao mesmo tempo, a doença de Parkinson não está entre as doenças mais monitoradas, portanto não há um número exato de prevalência; Ele ressaltou que o problema do diagnóstico não é apenas nacional, mas global. esta doença é confundida com qualquer pessoa que tenha tremores, mas é um sintoma comum de intoxicação registrada por ação de drogas, substâncias, bem como outros tipos de demência e pacientes com doenças como a vaca louca.

Metade da população que desenvolve o Parkinson o faz depois dos 60 anos, mas 20% dos pacientes manifestam a doença precocemente, são diagnosticados antes dos 60 anos; menos freqüentemente, o Parkinson juvenil é diagnosticado antes dos 40 anos.

Dentro das tabelas básicas dos serviços públicos de saúde não se considera o Parkinson, mas são tratados no Issea, no IMSS e o Issste (n.t.: órgãos de saúde no México) tem o tratamento necessário para o atendimento ao paciente, o que pode ser muito caro porque os medicamentos mais comuns envolvem um investimento mensal entre mil e cinco mil pesos, sem considerar os procedimentos cirúrgicos. Original em inglês, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: La Jornada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário