sábado, 11 de novembro de 2017

Terapia ocupacional: investigar novas técnicas de tratamento para Parkinson

Viernes 10 de noviembre de 2017 - Sebastián Gallegos, professor assistente do Departamento de Terapia Ocupacional e Ciências Profissionais da Faculdade de Medicina, apresentou resultados preliminares do trabalho realizado no laboratório de Neuromodulação e Controle de Motor: "Efeitos motores da estimulação não invasiva da medula espinhal em um animal parkinsoniano modelo "na XIII Reunião Anual da Sociedade Chilena de Neurociências realizada na cidade de Castro, Chiloé.

A 13ª Reunião Anual da Sociedade Chilena de Neurociências foi realizada na ilha de Chiloé, uma atividade que reúne importantes pesquisadores nacionais e internacionais neste campo. Sebastián Gallegos, professor assistente do Departamento de Terapia Ocupacional e Ciências Profissionais, apresentou seu trabalho de tese: "Efeitos motores da estimulação não-invasiva da medula espinhal em um modelo animal parkinsoniano". Realizado no Laboratório de Neuromodulação e Controle Motorizado do Instituto de Ciências Biomédicas, sob a direção do Dr. Rómulo Fuentes, acadêmico do Departamento de Neurociências da Faculdade de Medicina.

O trabalho, realizado em conjunto com a Dra. Florencia Álamos, baseia-se na busca complementar de um tratamento não-invasivo em relação ao que existe até hoje em relação à doença de Parkinson.
A doença de Parkinson (DP) é a segunda doença neurodegenerativa mais comum após a doença de Alzheimer. A DP se desenvolve devido à degeneração da substância negra, produzindo sintomas motores, como o movimento lento, conhecido como bradicinesia, acompanhado de tremores, instabilidade postural, rigidez e outros sinais não motores.

Entre os tratamentos mais conhecidos, é utilizado um tratamento farmacológico (uso de levodopa). Isso geralmente é efetivo nos estágios iniciais da doença ao melhorar os sintomas motores, mas com a passagem do tempo, esses efeitos positivos diminuem. Entre os tratamentos farmacológicos existentes, a evidência atual sugeriu que outro procedimento de neuromodulação, como a estimulação da medula espinhal (SCS), é efetivo no manejo agudo dos sintomas motores da doença de Parkinson. É neste aspecto que o trabalho do professor foi realizado, que salienta que "este procedimento tem resultados promissores para o tratamento" e assegura que "pode ​​ser uma estratégia segura de baixo custo que complementa o tratamento farmacológico e que melhoraria, eventualmente, a qualidade de vida das pessoas".

A apresentação dos resultados preliminares de sua tese foi adicionada à exposição de diferentes pesquisadores da área de Neurociências que abordaram áreas de pesquisa molecular, celular e cognitiva em aspectos de normalidade e condições patológicas. Sempre considerando sua implicação na sociedade.

Além disso, o acadêmico enfatiza a importância da reunião argumentando que "é essencial participar nessas instâncias e ser capaz de desenvolver pesquisas nesta área, pois podemos conhecer e desenvolver novas estratégias terapêuticas seguras e eficazes para o manejo de patologias neurológicas, melhorando a qualidade de vida dos usuários. É um privilégio poder participar e conhecer grandes pesquisadores no campo que conseguiram desenvolver novos conhecimentos sobre o funcionamento do sistema nervoso para aumentar o conhecimento na área e com o objetivo de estabelecer estratégias transferíveis para a prática de terapia ocupacional". Original em inglês, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: Medicina U Chile.

Nenhum comentário:

Postar um comentário