quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Agora, os pacientes que participaram do estudo serão reavaliados (ver quantos tiveram melhora efetiva) e esses dados serão comparados. Como o estudo foi cego, quem aplicou a terapia não sabia se a estimulação cerebral era real ou placebo, o resultado é uma incógnita. Para saber se houve mudança na estrutura cerebral (se alguma parte do cérebro conseguiu se recuperar) serão usadas diferentes técnicas de ressonância magnética para avaliação.

Fonte: Globo G1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário