segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Acorda Therapeutics retalha a droga de Parkinson após as mortes

Nov 20 (Reuters) - A Acorda Therapeutics Inc disse na segunda-feira que deixaria de desenvolver seu medicamento contra a doença de Parkinson, menos de uma semana depois que a empresa reportou óbitos em estudos-chave que testaram o tratamento.

As ações da empresa caíram 8,7% na negociação pré-comercial.

A farmacêutica na semana passada relatou cinco mortes em testes para a droga, tozadenant, e disse que iria parar de matricular pacientes em dois ensaios de segurança a longo prazo, depois de ter encontrado sete casos de sepse em julgamentos de fase média e tardia.

A farmacêutica havia dito na semana passada que aumentaria a monitorização do número de células sanguíneas em pacientes em um ensaio em fase tardia até a semana.

A Acorda disse na segunda-feira que não confiava em que a triagem semanal de contagem de glóbulos brancos seria suficiente para garantir a segurança do paciente.

A empresa estava encerrando suas esperanças no sucesso de tozadenant, já que lutava com a perda de exclusividade em sua droga de esclerose múltipla, Ampyra, e a recusa do regulador dos EUA em revisar sua outra droga de Parkinson, Inbrija. Original em inglês, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: Nasdaq. Veja também aqui: Additional Blood Cell Monitoring Added to Tozadenant Trials Following Adverse Events.

Nenhum comentário:

Postar um comentário