quinta-feira, 4 de abril de 2019

Astronautas na ISS trabalhando em cura para Parkinson: NASA

Espaço ideal para cultivar cristais de proteína, pois as condições não são favoráveis ​​na Terra

April 03, 2019 - Cientistas a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) estão trabalhando para descobrir novas maneiras de tratar e prevenir a doença de Parkinson, um distúrbio neuro-degenerativo que afeta mais de cinco milhões de pessoas no mundo, segundo a NASA.

A equipe que trabalha no projeto, Crystallization of LRRK2, sob condições de microgravidade-2 (CASIS PCG 16), produz cristais de proteína de quinase 2 (LRRK2) ricas em leucina na estação espacial.

Risco aumentado
Pessoas com doença de Parkinson têm uma função aumentada de LRRK2, e estudos genéticos ligam mutações no gene LRRK2 a um risco aumentado de desenvolver a doença de Parkinson, disse a NASA em um comunicado. Medicamentos que inibem o LRRK2 estão em desenvolvimento, mas sem conhecer a estrutura precisa dessa enzima, esse trabalho é como fazer uma chave sem conhecer a forma do buraco da fechadura que deve caber.

Cultivar os cristais LRRK2 na Terra é difícil e não produz amostras com qualidade suficientemente alta para os pesquisadores determinarem a forma e estrutura da proteína - o buraco da fechadura.

Cristais de proteína crescem mais e mais uniformemente no espaço, no entanto. Os cientistas podem analisar os maiores cristais espaciais para ter uma ideia melhor de como a doença funciona e desenvolver medicamentos - ou chaves - que visam a condição de forma mais eficaz e com menos efeitos colaterais.

Esta investigação se baseia em um experimento anterior, o CASIS PCG 7. Para o CASIS PCG 16, a equipe usou poços de amostras maiores, encheu os poços durante o vôo e monitorou os cristais LRRK2 à medida que cresciam.

A pesquisa da estação espacial pode trazer aos que trabalham para tratar e prevenir a doença de Parkinson um passo mais perto de encontrar a chave certa. Original em inglês, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: The hindu business line.


Nenhum comentário:

Postar um comentário