quinta-feira, 11 de abril de 2019

11 de Abril – Boxe e o Bonde da história

Hoje participei de minha primeira aula de boxe, na PUC-RS as 14 horas.

A aula terminou pelas 16 h, e como a PUC é relativamente perto da AMRIGS, decidi ir à palestra técnica sobre o Parkinson, promovida pela APARS em alusão ao dia internacional. Tudo evidentemente indo de bicicleta, meu predileto meio de transporte em Porto Alegre, apesar das muitas lombas a vencer, mas que de longe se assemelham às lombas enfrentadas por um Parkinsoniano.

Na palestra havia profissionais multidisciplinares, desde médicos neurologistas, passando por educadores físicos, psicólogos e fonoaudiólogos, como bem cabe ao bom e adequado tratamento de uma pessoa com Parkinson.

Pois bem, chegando à palestra, de início fiz a pergunta básica – Qual sua opinião sobre a maconha? A resposta, já esperada foi mais ou menos esta: Faltam estudos conclusivos, havendo dúvidas se os efeitos da cannabis são mais prejudiciais do que benéficos, particularmente pelo lado cognitivo, blá, blá, blá...

Eu sou suspeito pois já tenho opinião formada: Maconha é muito bom para o Parkinson. O que me leva a concluir, ante as inúmeras referências positivas na literatura médica, quando até o Lair Ribeiro é favorável, que os médicos gaúchos, lamentavelmente, perderam o bonde da história.

O porquê disso, a rejeição à cannabis? A resposta: médicos são afeitos a protocolos, e com não há protocolo de inserção de maconha no tratamento do Parkinson, ficam inseguros com medo de perder o controle dos pacientes ante os efeitos alucinógenos porventura trazidos pelo consumo de maconha fumada, além de ser este consumo, proibido por lei. Aí, diante do preconceito e das questões legais, venho questionar o juramento a Hipócrates. Infelizmente, estamos atrasados, prá variar, cada vez mais 3.o mundo. Lamentavelmente.

Não sou muito afeito a emitir opiniões pessoais neste blog, mas enchi o saco, e afirmo: Maconha faz bem, devendo preferencialmente ser introduzida com cautela e sob supervisão médica. Por isso recomendo a ABRACE. E um conselho: NÃO SEJA PRECONCEITUOSO, sua saúde vale ouro! (o canabidiol é outro papo)

E peguei a maior chuva e temporal ao sair da palestra, eu e minha bicicleta, cheguei em casa como um pinto molhado.
Turma do boxe, colorados de vermelho, gremistas de azul.

4 comentários:

  1. Parabéns pela iniciativa.Primeiro, por ter a energia de continuar na luta, indo e vindo pelas ruas de PoA. Segundo, por ter a iniciativa de participar da Aula de Boxe e terceiro, se faz bem, Viva la Marijuana....Sempre com vc 💖

    ResponderExcluir
  2. Grande Hugo. Excelente esta aula de boxe...

    ResponderExcluir
  3. Caro Hugo,
    Força com as sessões de boxe.
    Junto link com informação sobre a importância do ferro na doença de Parkinson.

    https://theconversation.com/parkinson-limiter-laccumulation-de-fer-pour-freiner-la-maladie-115052

    Parabéns por continuar com este blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria Mendes, grato elo comentário, mas lembro que o ferro é uma "faca de dois legumes" (http://doencadeparkinson.blogspot.com/2017/08/novos-caminhos-contra-doenca-de.html).

      Excluir