quinta-feira, 28 de março de 2019

Leite ligado ao maior risco de Parkinson, mostra estudo sueco

MARCH 27, 2019 - O consumo de mais de 40 mililitros de leite por dia está associado a um risco aumentado de desenvolver a doença de Parkinson. Ainda assim, a ingestão dietética de iogurtes ou leite azedo não representa um risco, resultados de um estudo sueco em grande escala.

O estudo “Leite, Iogurte e Consumo de Leite Azedo e Risco de Doença de Parkinson” será apresentado por Erik Olsson, PhD, professor associado da Universidade de Uppsala, durante a 14ª Conferência Internacional sobre Doença de Alzheimer e Parkinson e distúrbios neurológicos relacionados, 26 de março -31, em Lisboa, Portugal.

Os produtos lácteos são amplamente consumidos em todo o mundo e podem ser importantes contribuintes para o desenvolvimento de doenças humanas.

Estudos anteriores sugeriram que o consumo de produtos lácteos poderia estar ligado a um risco aumentado de doença de Parkinson, particularmente entre os homens.

Mais recentemente, um estudo mostrou que a ingestão total de produtos lácteos não estava associada a um risco significativo de Parkinson. No entanto, o consumo diário de leite desnatado ou desnatado em vez de leite integral foi associado a uma chance 39% maior de doença de Parkinson.

Para explorar ainda mais essa questão, pesquisadores suecos revisaram a incidência da doença de Parkinson em 81.889 adultos durante um período médio de seguimento de 13,9 anos. Nenhum dos participantes tinha Parkinson quando o estudo começou em 1997, e todos responderam a um questionário sobre regimes alimentares e freqüência de consumo de alimentos.

Um total de 1.251 casos de doença de Parkinson foi relatado entre essa população, de acordo com informações do Registro Nacional de Pacientes e Causas da Morte da Suécia.

A análise dos padrões alimentares desta população revelou que as pessoas que consumiram 40 mililitros (ml) ou mais de leite por dia tinham risco aumentado de ter a doença de Parkinson.

Em particular, os indivíduos que beberam 40 a 159 ml por dia de leite tiveram um risco 30% maior de desenvolver Parkinson, em comparação com pessoas que tiveram baixa ingestão diária de leite (menos de 40 ml por dia). O risco aumentou de forma semelhante para as pessoas que consumiram quantidades ainda maiores de leite, com risco 25%, 33% e 33% maior para 160-200 ml, 201-400 ml ou mais de 400 ml por dia de leite.

Em contraste, os pesquisadores não encontraram nenhuma associação significativa entre a ingestão de iogurte ou leite azedo e risco a longo prazo de desenvolver a doença de Parkinson.

Essas estimativas de risco não mudaram quando a equipe analisou os dados de acordo com o gênero dos participantes, sem diferenças entre homens e mulheres.

"Os resultados deste estudo de coorte indicam que o consumo de leite, mas não de leite azedo e iogurte, está associado a um aumento do risco de doença de Parkinson", concluíram os pesquisadores. Original em inglês, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: Parkinsons News Today.

No mínimo curioso, pois há controvérsias e nenhuma novidade, pois tal notícia derivada de outro estudo que foi citado neste blog em 7 de abril de 2005, quando se chamava "Mal de Parkinson" junto com estas outras notícias, em datas mais recentes, em que exaltavam os benefícios do leite. Veja também o marcador "leite" neste blog, quando não se restringia ao leite, sendo estendido o conceito aos lacticínios em geral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário