domingo, 30 de setembro de 2018

Saiba como se candidatar à cirurgia para tratar a doença de Parkinson

02/09/2014 - O Hospital de Transplantes do Estado de São Paulo, unidade da Secretaria de Estado da Saúde gerenciada em parceria com a SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina), agora conta com um procedimento gratuito minimamente invasivo que recupera na hora a coordenação motora. (Obs.: O DBS é invasivo)

O implante de um eletrodo no cérebro (DBS) permite controlar os movimentos involuntários ocasionados pela doença e promove longevidade e qualidade de vida ao parkinsoniano.

O hospital, que é referência na América do Sul para cirurgias de Parkinson da rede pública, conseguiu zerar a fila de pacientes com indicação para este tipo de implante.

Segundo o neurocirurgião José Osvaldo Oliveira, de 10% a 15% dos parkinsonianos tem indicação clínica para realizar o implante de eletrodo cerebral. "O critério é definido por uma equipe de neurologistas que avalia clinicamente quem deve se submeter ao procedimento", explica.

Os especialistas solicitam exames e aplicam questionários específicos com os pacientes. Entre as principais considerações está idade, ausência de demência, mínimo de cinco anos com diagnóstico da doença, nível de incômodos, entre outros. Após avaliação, o paciente é direcionado para realizar o implante de eletrodo ou outro tipo de procedimento.

Para realizar a cirurgia, é necessário que o paciente seja encaminhado ou por uma unidade de uma unidade básica de saúde ou por um serviço especializado do SUS. O paciente parkinsoniano só pode ser atendido se tiver o encaminhamento da rede SUS. Caso ele seja encaminhado, ainda deverá passar por uma série de avaliações para saber se tem ou não perfil para realizar a cirurgia.

HOSPITAL DO TRANSPLANTE Av. Brigadeiro Luís Antônio, 2651 Jardim Paulista, São Paulo - SP

Fonte: Record R7.

Nenhum comentário:

Postar um comentário