segunda-feira, 13 de julho de 2015

Eu quero deixar o meu marido, que foi diagnosticado com doença vascular, doença de Parkinson e demência. Alguma outra pessoa enfrenta esse comportamento?

Jul 12, 2015 - Site norte-americano Aging care (“cuidados com o envelhecimento”) no Caregiver Forum (“Fórum de Cuidadores”) tem “desabafo" de esposa e cuidadora, cujo pseudônimo é Statewise, como segue:

Ele é abrasivo, arrogante e rude. Ele não deveria estar dirigindo, mas, ele pega o carro e dirige. Ele foi informado por seus médicos para não conduzir. Eu disse a seu médico sobre o seu comportamento e ele indicou-me a pedir o teste de condução para avaliá-lo. Ele tem filhas de um casamento anterior e fala sobre mim negativamente às suas filhas e eu posso ouvi-lo. Elas só dizem-lhe para se comportar. Estou cansada de viver a minha vida com ele. Tenho sido sua fiel cuidadora e defensora, mas, ele não aprecia. Eu sinto que não vale a pena a luta. Ele não me ama tanto quanto eu o amo. Palavras de amor não significam nada, porque a ação fala mais alto que palavras. Estou ao ponto de ressentimento e ódio em relação a ele. Eu sinto que não tenho qualquer outra alternativa, a não ser cair fora. Seguem correspondências de leitores do fórum. (original em inglês, tradução Google, revisão Hugo) Fonte: Aging Care.


Creio ser inevitável, um dia tornarmo-nos um fardo para nossos cuidadores, quando já não somos! O que fazer quando estivermos insuportáveis? É bom já ir discutindo e elaborando o assunto. Pelo menos enquanto a "cavalaria americana" não chega p'ra nos resgatar.

Um comentário:

  1. Comentário importante feito pelo Marcus Vinícius Anflor (nórdico caminhante / grupo da ESEF-UFRGS) em compartilhamento deste post no facebook, grupo Xô Parkinson: "A melhor maneira de resolver um problema é antecipar-se a ele."
    Recomendo aos meus amigos parkinsonianos - como eu, a conhecerem a doença, estuda-la, procurar especialistas de diversas áreas, ANTES que seus nefastos efeitos comecem a aparecer. Assessoria multiprofissional: médico que voce tenha confiança é fundamental, alimentação, clínico geral, cardiologista e, principalmente, acompanhamento psicológico. Não deixe de ter um bom programa de exercícios físicos para um bom condicionamento. Apoio da família é fundamental!!!
    É claro que depender da Saúde Pública é uma merda, mas é preciso lutar e resistir. Se voce não tem condições de ter um bom plano de saúde, procure grupos de apoio e associações de Parkinson.

    ResponderExcluir