quinta-feira, 31 de maio de 2018

Drogas que limitam a imunidade, uma possível cura para a doença de Parkinson

Redução do risco de doença para quem os toma
31 maggio 2018 - A partir da análise de milhões de dados clínicos descobriu uma possível solução para a doença de Parkinson: a possibilidade de tratá-lo, ou pelo menos retardar o curso, com drogas imunossupressoras. De fato, descobriu-se que aqueles que sofrem de doenças auto-imunes de vários tipos (de colite ulcerativa a artrite reumatóide) e que compartilham apenas o tratamento com drogas que restringem a função imunológica, estão protegidos da doença.

Isto foi revelado por um estudo realizado na Escola de Medicina da Universidade de Washington em St. Louis e publicado nos Annals of Clinical e Translational Neurology.

Os especialistas analisaram as prescrições farmacológicas recebidas de 48.295 pessoas diagnosticadas com Parkinson em 2009 e 52.324 pessoas sem a doença. O resultado é que aqueles que tinham tomado ou estavam a tomar corticosteróides, drogas imunossupressoras, por várias razões tiveram um risco 20% inferior de desenvolver doença de Parkinson e os que estavam a tomar, ou tinham tomado classe imunossupressor de monofosfato de inosina inibidores da desidrogenase tinha um terço do risco de contrair a doença de Parkinson em comparação com aqueles que não tomaram esses imunossupressores.

A descoberta não só reforça a hipótese do papel do sistema imunológico na neurodegeneração típica de Parkinson, mas também indica, nesses e em outros fármacos similares, uma maneira de desacelerar o curso, se retirado do diagnóstico. O próximo passo será testar essas drogas em pessoas que acabaram de ser diagnosticadas com a doença para ver como seu sistema imunológico responde e ver seu curso diminuir no futuro (ANSA). Original em italiano, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: Ansa. Veja também aqui: People taking immunosuppressant drugs less likely to develop Parkinson’s disease.

Nenhum comentário:

Postar um comentário