quarta-feira, 7 de junho de 2017

Parkinson, diagnóstico não invasivo em 10 segundos, com o relógio baixo custo: Preciso a 92%


por Andrea Centini

Desenvolvido por neurologistas e engenheiros italianos e britânicos, o dispositivo é capaz de distinguir entre tremores causados ​​pelo Parkinson e aqueles do tipo essencial. Sua precisão é maior do que a de diagnóstico clínico normal e à de testes caros, como Spect cerebral. Vai custar algumas dezenas de euros.

6 GIUGNO 2017 - Uma equipe de investigação ítalo-britânica na Universidade Campus Bio-Medico de Roma e da Universidade de Oxford desenvolveu um dispositivo revolucionário capaz de diagnosticar a doença de Parkinson em apenas dez segundos. Semelhante a um relógio normal, o instrumento é equipado com um acelerômetro capaz de avaliar a extensão e a intensidade dos tremores, e uma acurácia diagnóstica de 92 por cento. A estatística é tanto maior do que o diagnóstico clínico normal, que ascenderam a 80 por cento, do que a da chamada Spect cerebral, um exame que para além de ser particularmente caro não está disponível em todos os hospitais, tem também longas listas de de' espera e acima é baseada em raios que podem ser perigosos para a sua saúde.

O dispositivo é tão eficaz que já entrou com a patente, e a esperança de pesquisadores, coordenado pelo neurologista italiano Lazzaro Di Biase, é que ele pode em breve estar disponível a partir de especialistas, mas também em consultórios de médicos de família. Além disso, o custo final será de algumas dezenas de euros, e, portanto, será acessível para a comunidade médica adotar. "Durante anos, os neurologistas estavam tentando chegar a esta ferramenta, um índice de diagnóstico de não-invasivo, com uma precisão perto de 92 por cento", salientou Dr. Di Biase entusiasmo.

A eficácia do dispositivo é também garantida pela tecnologia de laser, que é capaz de avaliar a velocidade e a intensidade de tremores graças a uma pequena aba de papel refletora para ser aplicado em um dedo. A ferramenta também consegue distinguir entre tremores associados à doença de Parkinson e Tipo "essencial" que não têm um curso progressivo como o primeiro, resultante de uma doença degenerativa. O algoritmo no qual é construído o dispositivo também foi obtido a partir dos dados dos principais especialistas mundiais em pacientes de Parkinson, que colaboraram no projeto. Apesar da elevada precisão, Di Biase e colegas esperam para atingir o limiar de 99 por cento. Os resultados dos testes, que serão suportados por outras investigações, foram apresentados em uma recente conferência realizada em Vancouver, e publicado na revista científica Brain. Original em italiano, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: Scienze.

Nenhum comentário:

Postar um comentário