sábado, 11 de março de 2017

Um "interruptor" genético poderia prevenir os sintomas da doença de Parkinson

Os papéis de genes como ATF4 em neurônios humanos pode levar a intervenções específicas que podem prevenir ou retardar a perda neuronal na doença de Parkinson

10 - Marzo – 2017 - Pesquisadores do Departamento de Investigação Médica (MRC siglaem inglês) da Universidade de Leicester, Reino Unido, lançaram luz sobre a rede genética envolvida na crítica doença neurológica de Parkinson. Especificamente, eles encontraram um "interruptor" genético que pode ajudar a prevenir ou retardar os sintomas da doença de Parkinson.

"Estudar os papéis de genes como ATF4 nos neurônios humanos poderia levar a intervenções específicas que podem prevenir ou retardar a perda neuronal na doença de Parkinson", diz o diretor sênior de pesquisa, Dr. Miguel Martins, da Unidade de Toxicologia do MRC na Universidade de Leicester.

Num artigo publicado no Jornal da morte celular e diferenciação, a equipe verificou os detalhes de um gene chamado ATF4 que desempenha um papel chave na doença de Parkinson, atuando como um"comutador" para os genes que controlam o metabolismo mitocondrial e a saúde dos neurônios.

"Quando a expressão do ATF4 é reduzida nas moscas, a expressão destes genes mitocondriais desce, levando a defeitos locomotores dramáticos e mitocôndrias disfuncionais no cérebro. É interessante notar que, quando sobre-expressos estes genes mitocondriais em modelos de Parkinson ne mosca da fruta, a função mitocondrial foi restaurada e a perda de neurônios foi evitada", acrescenta.

Rumo a novos alvos terapêuticos
Ao descobrir redes de genes que orquestram esse processo, os cientistas identificaram novos alvos terapêuticos que possam impedir a perda de neurônios. Algumas formas de doença de Parkinson são causadas por mutações em genes PINK1 e Parkin, que são críticos no controle de qualidade mitocondrial. O moscas da fruta com mutações nestes genes exibem acumulação de mitocôndrias defeituosas e alterações de Parkinson semelhantes, incluindo a perda de neurônios.

Os investigadores usaram moscas com mutações em PINK1 e Parkin para encontrar outros genes de Parkinson críticos e usando uma abordagem do ATF4 por bioinformática descobriram que o gene desempenha um papel fundamental. "Estudar o papel destes genes em neurônios humanos pode levar a intervenções específicas que podem prevenir ou retardar a perda neuronal na doença de Parkinson", diz Martins.

Os resultados são baseados em uma pesquisa recente pela equipe da Universidade de Leicester, que recentemente descobriu vários genes que ao mesmo tempo protegem os neurônios na doença de Parkinson, criando possibilidades de novas opções de tratamento. Dois dos genes PARKIN-- --PINK1 e mitocôndrias afetam em como gerar nucleotídeos amino break; o metabolismo dessas moléculas gera a energia que as células precisam para viver. Original em espanhol, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: El Médico Interactivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário