quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

'Tremei o caminho'

Um documentário em vídeo permite viver o Caminho de Santiago com Parkinson
O projeto, uma iniciativa Valenciana, conta a jornada de 15 peregrinos a caminhar 108 quilômetros para quebrar mitos sobre a doença
Imagen de 'Que tiemble el camino', documental interactivo coproducido por RTVE.ES y Barret Cooperativa Valenciana (LVD)
2016/12/15 | Uma nova espécie de documentário, interativo, visa tornar a doença de Parkinson visível e quebrar mitos. 'Tremei o caminho" é co-produzido pela RTVE e Barret Cooperativa Valenciana, em colaboração com a Federação Espanhola de Parkinson. Nele, através da web, o usuário estará na pele de um grupo de pessoas afetadas por Parkinson e o desafio de viajar 108 quilômetros do Caminho de Santiago são propostos.

O projeto narra, sob a forma de jogo de vídeo documentário, 15 peregrinos viajam após mais de um ano de preparação e 6 rígidos estágios a pé. É uma disputa que surgiu por iniciativa da Associação Valencia Parkinson, e somada das associações Albacete, Pontevedra e Tenerife, que querem aumentar a consciência da doença neurodegenerativa e suas condições afetando mais de 160.000 pessoas em Espanha. Apesar do impacto social da doença de Parkinson, a doença ainda é cercada por mitos e ignorância, que estigmatizam as pessoas que a tem.

“Tremei o caminho” tem vocação para o serviço público: quer contribuir para des-estigmatizar a doença através da história de seus protagonistas, e apresentar a vida quotidiana das pessoas afetadas e valorizar o trabalho das associações da doença de Parkinson. A Federação Espanhola de Parkinson tem desenvolvido uma série de conteúdos informativos sobre estes aspectos, que convertem webdocumentario em um valor de referência de informação de qualidade sobre a doença e os recursos disponíveis para as pessoas afetadas.

O webdocumentario um formato de narrativa que está gradualmente a ser estabelecido na mídia internacional. “Tremei o caminho”, liderado por Alex Badia e Claudia Reig, é parte da fábrica de Webdocs do Laboratorio de Innovação Audiovisual da RTVE, um compromisso para novas narrativas do canal público. A produtora Barret começou sua carreira em formatos transmídia interativas e documentários em 2009, e desde então tem trabalhado como Las voces de la memoria, e distribuido também através da web da RTVE, 0responsables.com, sobre o acidente do metrô de Valência.

No desenvolvimento de webdocumentário participaram duas outras empresas valencianas: o estudo da comunicação Diapasó tem sido responsável pela programação web, e a Spherical Pixel desenvolveu jogos de vídeo. Na web pode-se navegar tanto com computadores, smartphones e tablets. O projeto também incorpora um formato de documentário tradicional. Este filme foi transmitido pela TV Registros da 2, e também é acessível através da web. Original em espanhol, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: La Vanguardia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário