terça-feira, 1 de novembro de 2016

Estudo sobre Doença de Parkinson realizado no Creasi (Centro de Referência Estadual de Atenção à Saúde do Idoso - BA) é apresentado em Congresso Internacional

Ter, 01 de Novembro de 2016 - Os resultados preliminares da pesquisa "Comparação entre os efeitos dos exercícios através do treino funcional, bicicleta estacionária e exergame na Doença de Parkinson: um ensaio clínico randomizado", que está sendo desenvolvida no Centro de Referência Estadual de Atenção à Saúde do Idoso (Creasi), foram apresentados no 8º Congresso Internacional de Fisioterapia pelos professores Daniel Dominguez Ferraz, Karen Valadares Trippo e Jamary Oliveira Filho, com a colaboração do médico Ramon Kruschewsky, neurologista do Centro, e estudantes do curso de Fisioterapia da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

Foram apresentados 11 posters, com dados observados através do estudo, composto por uma amostra com 36 pacientes do Creasi, que foram divididos aleatoriamente em três grupos e submetidos ao treino funcional, ao treino em bicicleta estacionária e ao exergame, videogame Xbox360 com sensor kinect(TM), com o objetivo de se estabelecer uma comparação entre os efeitos dos exercícios sobre a aptidão cardiorespiratória, postura, controle postural, funções executivas, qualidade de vida e funcionalidade de pacientes com a doença.

"O envelhecimento fisiológico promove a diminuição gradativa da massa corporal, função pulmonar e da capacidade física. Esses efeitos debilitantes quando associados à Doença de Parkinson pioram a qualidade de vida e a dependência funcional do idoso. Apresentar os resultados à comunidade científica é dar sentido à pesquisa cujo objetivo é contribuir para tratamentos mais eficazes", salientam os pesquisadores.

O estudo será finalizado em 2017 e a conclusão da pesquisa exposta. A diretora do Creasi, a geriatra Mônica Hupsel Frank, ressalta que um dos objetivos do Centro de Referência é fomentar a produção científica e contribuir no desenvolvimento de pesquisas sobre o envelhecimento e a saúde do idoso.

Resultados expõem o benefício dos exercícios físicos

A pesquisa irá contribuir para uma atuação ainda mais consistente da fisioterapia. Numa doença neurodegenerativa e progressiva, há a necessidade da prática regular de exercícios, e com diferentes estímulos, para atenuar sintomas, manter a funcionalidade e prevenir quedas e complicações. Os resultados demonstraram a eficácia dos exercícios para o paciente com Doença de Parkinson e outros dados importantes para a qualidade de vida dos idosos.

As avaliações preliminares apontaram que as três modalidades de exercícios propostos pela pesquisa se mostraram motivadoras, sendo o treino funcional com maior índice de motivação. Para o professor Daniel Dominguez, "é importante considerar os aspectos motivacionais no plano terapêutico para obter a adesão do paciente ao tratamento".

Os resultados também mostraram que diante da necessidade de uma terapia que possibilite reabilitar tanto os aspectos cognitivos e motores do paciente, com impactos sobre a mobilidade funcional e a prevenção de quedas, o Exergame mostrou-se uma terapia eficaz. "Os pacientes demonstraram bom equilíbrio na realização dos testes após o tratamento, bem como ausência de quedas durante o período da terapia", salientou a professora Karen Trippo.

Quanto à aptidão física dos idosos, verificou-se que houve aumento significativo na distância percorrida e melhora no tempo de levantar e sentar. De acordo com o professor Daniel, "todos os exercícios, treino funcional, bicicleta estacionária e o Exergame, foram eficazes como modalidades de exercício para incrementar a aptidão cardiorrespiratória e a força e resistência muscular de membros inferiores dos participantes".

Ascom do Creasi
Idoso/trabalho
Fonte: Saúde BA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário