quarta-feira, 1 de junho de 2016

UDDO realiza exame que auxilia no diagnóstico da doença de Parkinson

Cintilografia cerebral com Trodat também ajuda a investigar outras disfunções no sistema neurológico.

01/06/2016 - A UDDO Diagnósticos Médicos oferece, no seu rol de procedimentos, a cintilografia cerebral com o radiofarmaco Trodat, utilizado como importante ferramenta no auxílio ao diagnóstico da doença de Parkinson, doença degenerativa que afeta os movimentos do corpo.

Considerada uma das doenças neurológicas de maior incidência nos dias de hoje, a doença de Parkinson afeta cerca de 1% da população do planeta acima dos 65 anos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A doença de Parkinson provoca degeneração de células neutrotransmissoras em uma região específica do cérebro, que entre outras funções, controlam movimentos do corpo. Dessa maneira, ocorrem sintomas como tremores, rigidez muscular, alterações na fala, entre muitos outros. A sua causa ainda é desconhecida.

Não existe teste diagnóstico específico para a doença de Parkinson. Assim, a cintilografia cerebral com Trodat complementa os exames clínicos e de imagem, como a ressonância magnética, fornecendo informações importantes que podem ser decisivas tanto para o diagnóstico da doença como para verificar a diferenciação com outras enfermidades que possam causar disfunções no sistema neurológico.

O exame é feito a partir da injeção intravenosa do Trodat (marcado com Tecnécio-99m), funcionando como uma espécie de “contraste”. A radiação emitida pelo radiofármaco é detectada pelo equipamento de cintilografia (gama-câmara), que fornece imagens tomográficas do cérebro, possibilitando que os médicos identifiquem as áreas afetadas e façam uma avaliação mais precisa do problema.

Segundo José Flávio Marin, médico nuclear da UDDO, o exame não tem contraindicações absolutas. Como a técnica utiliza substância radioativa, pacientes gestantes devem consultar o seu médico antes de se submeter à cintilografia. “Para que consiga atingir o seu objetivo é importante que o exame com Trodat seja realizado no contexto de uma avaliação neurológica especializada, como parte de uma investigação que contemple outros exames clínicos”, conclui.

A cintilografia cerebral com Trodat é realizada na sede da UDDO na rua Itapeva, e nas unidades de medicina nuclear no Hospital IBCC (Instituto Brasileiro de Controle do Câncer) e do Hospital Samaritano, todas em São Paulo, com as quais a clínica opera em parceria. Fonte: Revista Hospitais Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário