quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Levodopa: O medicamento mais utilizado na doença de Parkinson

05/01/2016 - Levodopa: O medicamento mais utilizado na doença de Parkinson

Você conhece a Levodopa?

Os tratamentos medicamentosos para os portadores da doença de Parkinson levam em conta as alterações bioquímicas que ocorrem em seus cérebros.

No caso, as células que produzem a dopamina são as células atingidas.

A dopamina é uma substância muito importante para o funcionamento das trocas de informações feitas pelos nossos neurônios, os quais agem também na parte motora cerebral.

A diminuição dessa substância chamada dopamina causa um desequilíbrio bioquímico, do qual origina-se a doença de Parkinson.

Existem medicamentos que aumentam essas atividades cerebrais e proporcionam a melhora para quem é portador da doença, e a Levodopa é um deles.

Podemos assim dizer que o Parkinson pode ser causado por um déficit na produção de dopamina, sendo assim, a levodopa é o medicamento mais eficaz, e um dos mais utilizados para a melhora dos sintomas parkinsonianos.

Mas atenção! Esse medicamento nem sempre deve ser administrado no início da doença, pois muitos especialistas preferem iniciar o tratamento com medicamentos menos potentes e utilizar a levodopa para as fases mais críticas e avançadas da doença.

O que é Levodopa?

Levodopa - Prolopa - Parkinson

Levodopa é um aminoácido, ou seja, uma substância precursora da dopamina, e quando utilizada aumenta os níveis da dopamina no cérebro.

Esse medicamento é rapidamente absorvido próximo ao nosso intestino delgado, por isso é importante lembrar que ele não deve ser ingerido juntamente de alimentos que são ricos em proteínas, pois a proteína, além de ser absorvida no mesmo local que a levodopa, reduz a absorção do medicamento.

Quanto dura seu efeito?

Parkinson-prolopa

O efeito contra os sintomas parkinsonianos depende do estágio da doença, e a duração da dosagem no organismo passa a ser variável.

Na fase inicial seu efeito pode durar até 6 horas, e se for tomado sucessivamente, mantém o efeito, pois nessa fase o cérebro ainda consegue armazenar a dopamina produzida pelo medicamento.

Até os primeiros cinco anos os sintomas podem ser bem controlados com a Levodopa. Depois desse período, com a progressão da doença e a degeneração avançada das células cerebrais, podem surgir maiores complicações e os médicos podem incluir outras medicações complementares.

Com o tempo, o cérebro do portador do Parkinson pode perder a sua capacidade de armazenamento de dopamina, e progressivamente a duração do efeito da medicação pode tornar-se menor.

Prolopa - Levodopa - Remédio para Parkinson.

No Brasil encontramos a levodopa com o nome de Prolopa, e o fabricante é a Roche Brasil. Fonte: Portal do Parkinson.

Nenhum comentário:

Postar um comentário