quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Beber leite (contaminado por pesticida para abacaxis) está ligado à doença de Parkinson: Estudo

Dec. 9, 2015 - Um novo estudo descobriu uma ligação intrigante entre contaminantes encontrados no leite e o risco de desenvolver a doença do cérebro

Estudos descobriram uma ligação entre o consumo de produtos lácteos e um maior risco de desenvolver a doença de Parkinson, a doença neurodegenerativa que afeta os neurónios motores no cérebro. Enquanto os pesquisadores especularam que produtos químicos encontrados no leite de vaca podem ser responsáveis, havia pouca evidência aos detalhes como os produtos lácteos, como leite e queijo podem estar afetando o risco da doença das pessoas.

Agora, os cientistas podem ter descoberto uma pista promissora. Relatando na revista Neurology, Robert Abbott, da Universdade de Shiga de Ciências Médicas, no Japão, e seus colegas se aproveitaram de um escândalo ambiental no Havaí em 1980 para investigar a conexão. Na época, um pesticida organoclorado usado pelos agricultores de abacaxi fez o seu caminho para o abastecimento de leite quando as vacas foram alimentadas com uma papa feita em parte dos escombros de abacaxi. Coincidentemente, também houve um estudo de doenças cardíacas entre os homens japoneses-americanos que começaram, então, e envolveram mais de 8.000 homens que foram seguidos desde meados de vida até a morte. Todos forneceram informações detalhadas sobre o que comiam, incluindo a quantidade de leite que bebiam, e alguns concordaram em doar seus cérebros para a investigação sobre a morte.

Abbott e sua equipe estudaram 449 cérebros e gravaram a densidade de neurônios em áreas específicas do cérebro conhecidas por serem afetadas pelo Parkinson. Eles descobriram que os homens que relataram beber mais de dois copos de leite por dia (16 oz) apresentaram as redes nervosas mais finas nessas áreas, sugerindo função comprometida destes nervos, em comparação com os homens que bebiam pouco ou nenhum leite. Os bebedores de leite também tinha resíduos de organoclorados específicos chamados heptacloro epóxido.

Curiosamente, medindo quando as células em regiões nervosas motoras morreram, eles também aprenderam que a acumulação de heptacloro epóxido ocorreu antes que as células tivessem sido danificadas, insinuando fortemente que o produto químico foi responsável por desencadear as mudanças associadas com Parkinson.

Abbott diz que ele e sua equipe não têm amostras de leite que os homens bebiam, por isso não posso dizer com certeza que o leite contaminado foi a fonte dos pesticidas que foram encontrados nos cérebros dos homens, mas é uma explicação razoável. "Nós não temos todos os dados ainda, mas estamos perto de encontrar a arma fumegante aqui", diz ele. "Não é completa, mas é muito suspeito."

Heptacloro epóxido não é mais usado como inseticida nos EUA, de acordo com a Agência de Proteção Ambiental, "quase todos os usos registrados do heptacloro epóxido foram cancelados." Mas ele tende a ser persistente, mantendo-se no solo e na água por muitos anos. Abbott também observa que ele foi encontrado em leite de cabra e leite de vaca na Etiópia e que outros organoclorados foram detectados no fornecimento de leite na Itália.

Os dados certamente não querem dizer que qualquer pessoa que bebe vários copos de leite por dia está se colocando em risco de desenvolver doença de Parkinson. O que isto significa é que a dieta e o estilo de vida são fatores de risco que devem ser considerados mais profundamente. "Isto contribui para a literatura que a dieta pode de fato, desempenhar um papel na doença de Parkinson," diz Abbott. "Mas também nos diz que há mais na comida do que apenas o seu valor nutricional. Não há contaminação, é o que tem na comida. "

Por enquanto, não há razões para parar de beber leite. ("Eu bebo um copo de leite todos os dias", diz Abbott). Mas ele espera que seus resultados abasteçam o olhar cuidadoso continuado de como a forma com que os produtos químicos no ambiente podem estar afetando a nossa saúde, mesmo em formas sempre óbvias indiretas e não. Original em inglês, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: Time. Veja tmbém no Jornal de Notícias.p (10/12/015): Estudo relaciona consumo de leite com doença de Parkinson.

E me pergunto qual a condição do leite no Brasil (particularmente o RS) em meio a tantos escândalos? 

Enfim ante a situação que se apresenta, estamos mais ou menos como abaixo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário