sábado, 25 de julho de 2015

Doença de Parkinson: novas perspectivas com estimulação neural "wireless"

24/07/2015 - Um método de estimulação neural sem fios que não necessita de quaisquer eléctrodos e que pode reduzir o risco de toxicidade e alergias, graças ao uso de biomateriais. Este é o resultado obtido por uma equipe internacional de investigação, incluindo cientistas italianos do Centro de Micro-Biorobotics do Instituto Italiano de Tecnologia (IIT) em Pontedera e do Instituto Biorobotics da Scuola Superiore Sant'Anna em Pisa.

Neste estudo - publicado na revista ACS Nano e coordenado por Attilio Marino, estudante de doutoramento no Centro de IIT para Micro-Biorobotics – a estimulação sem fio das células neuroniais - como foi obtido usando nanopartículas piezoelétricas, ou seja nanopartículas "inteligentes" que convertem energia mecânica em energia elétrica. Em particular, o estudo analisou ​​em pormenor o mecanismo resultando na estimulação neural por identificar os canais das membranas celulares que estão activadas.

"Nossos resultados - explica Attilio Marino - fornecem a base para uma nova abordagem da estimulação das células, que nós definimos como 'wireless', uma vez que carece de eletrodos e conexões elétricas, sendo minimamente invasiva e 'biocompatível, graças à ausência de toxicidade de titanato de bário e a segurança total de estimulação de ultra-sons, que está já bem estabelecida na prática médica. Neurônios são 'remotamente' ativados, como se fossem guiados por controle remoto", conclui o jovem investigador. Além disso, a técnica não é limitada para o sistema nervoso, mas poderia também ser utilizada em outros tecidos biológicos excitáveis, incluindo o coração. (original em inglês, tradução Google, revisão Hugo) Fonte: Research Italy.

Nenhum comentário:

Postar um comentário