sábado, 8 de julho de 2017

Antipsicótico usado em Parkinson aumenta riscos de morbidez física

Julho de 2017 | PHILADELPHIA - O uso antipsicótico (AP) em pacientes com doença de Parkinson (DP) está associado a aumento da morbidade física, de acordo com um estudo no American Journal of Geriatric Psychiatry.1

O estudo, liderado por pesquisadores do Parkinson’s Disease Research, Education and Clinical Center at the Philadelphia VAMC, utilizou dados de VHA de 1999 a 2010 para examinar o risco de morbidade física associado ao uso de AP em pacientes com DP idiopática com saúde física estável e recente.

A equipe de estudo comparou as taxas de morbidade de 180 dias em pacientes que iniciaram um AP com usuários AP não correspondentes que sobreviveram por 180 dias. Os 6.679 pares de DP foram combinados em uma série de fatores, incluindo idade, sexo, raça, ano índice, presença e duração da demência, duração do DP, delírio, hospitalização, Índice de Comorbidade Charlson e novos medicamentos não psiquiátricos.

Para determinar os resultados, os pesquisadores rastrearam o departamento de emergência de 180 dias (ED) e as visitas internas e ambulatoriais.

Os resultados indicaram que qualquer uso de AP foi associado a um risco aumentado de visita de ED, para uma razão de risco de 1,64; Cuidados hospitalares (1,58) e visitas ambulatoriais (1,08). O risco foi significativamente maior para o uso de AP atípico em comparação com o não uso para os três desfechos de morbidade, embora fosse semelhante ao uso de AP típico e típico.

"Qualquer uso de AP e uso de AP atípico, estão associados ao aumento significativo do risco de morbidade física em pacientes com DP, como evidenciado pelo aumento da internação, internação e consultas ambulatoriais", concluíram autores do estudo. "Essas descobertas, que exigem replicação, ampliam o risco associado ao uso de APs nesta população, da mortalidade a uma gama mais ampla de resultados adversos, e destacam a necessidade de usar APs com cautela em pacientes com DP".

Weintraub D, Chiang C, Kim HM, Wilkinson J, Marras C, Stanislawski B, Mamikonyan E, Kales HC. Uso antipsicótico e morbidade física na doença de Parkinson. Am J Geriatr Psychiatry. 2017 2 de fevereiro. Pii: S1064-7481 (17) 30093-3. Doi: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28259697.
Original em inglês, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: US Medicine.

Nenhum comentário:

Postar um comentário