quarta-feira, 17 de maio de 2017

Equipe irlandesa desbloqueia gatilhos escondidos atrás do Alzheimer e Parkinson

17/05/2017 - Uma equipe de pesquisadores do Trinity College de Dublin acredita ter desvendado os segredos ocultos de como Alzheimer e Parkinson se desenvolvem no cérebro.

Devido a seus efeitos nocivos sobre o cérebro humano - e amigos e familiares - a investigação sobre como são desenvolvidas doenças neurodegenerativas tem sido extensa.

Apesar de a indústria científica ter obtido uma melhor compreensão nas últimas décadas, muito pouco se compreende.

No entanto, uma equipe de pesquisa do instituto de nanociência CRANN da Trinity College de Dublin acredita ter descoberto alguns desses mistérios, na esperança de um dia ser capaz de criar um tratamento eficaz para doenças como Alzheimer e Parkinson.

Em um artigo publicado on-line, a equipe liderada pelo professor Martin Hegner revelou que, pela primeira vez, observou como as proteínas dobram enquanto são produzidas em tempo real.

A descoberta foi feita pela análise de ribossomos individuais - moléculas complexas que usam informações genéticas para montar proteínas.

Dentro de cada uma de nossas células, há aproximadamente 7m destes ribossomos (n. do t.: there are approximately 7m of these ribosomes), apenas 20 nanômetros de diâmetro, apenas determinado pela ciência, até 2000.

O que os torna tão importantes na pesquisa de doenças neurodegenerativas é que a montagem de proteínas nas células é crucial, uma vez que elas devem se dobrar em formas complexas para executar como esperado.

"Empurra os limites do que é tecnicamente possível"
Esta síntese protéica permaneceu um mistério até esta última pesquisa, mas Hegner e sua equipe descobriram que durante este processo, as cadeias de aminoácidos chamados polipéptidos dobram em suas estruturas 3D final.

Essa descoberta é vital no desenvolvimento de futuros remédios para o tratamento dessas doenças neurodegenerativas, entre outros, e a pesquisa do CRANN já chamou a atenção de algumas empresas farmacêuticas.

"O mecanismo de tradução de ribossomas é um sistema altamente complexo, envolvendo muitos fatores diferentes, como entrada de energia, descodificação de RNA mensageiro, aminoácidos, bem como seus movimentos relativos e interações", disse Hegner na pesquisa de sua equipe.

"Investigar esse sistema no nível de uma única molécula exigiu uma abordagem altamente ambiciosa e multifacetada que empurra os limites do que é tecnicamente possível." Original em inglês, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: Silicon Republic.

Nenhum comentário:

Postar um comentário