sexta-feira, 11 de novembro de 2016

"O mistério de quando o nosso cérebro, o Parkinson, reduz a qualidade de vida"

 A doença neurodegenerativa que afeta mais de 100.000 pessoas

2016/10/11 | DOCUMENTOS RNE
Documentos RNE entra esta semana na vida de pacientes com Parkinson, doença neurodegenerativa que afeta mais de 100.000 pessoas em Espanha e que conduz a uma incapacidade progressiva do paciente. Analisamos a origem da descoberta e desenvolvimento da doença, cujas causas permanecem um mistério hoje.

"O mistério da doença de Parkinson, quando o nosso cérebro diminui a vida", escrito por Miguel Molleda, reflete como essa doença afeta os pacientes que a sofrem e enfatiza as consequências humanas que estão sendo experimentadas. Uma doença que leva à destruição de um grupo de neurônios e provoca mudanças na função cognitiva na expressão de emoções e muitas outras funções corporais. Mas acima de tudo, a falta de mobilidade e diminuição dos movimentos; "A desaceleração da vida", que é uma das consequências mais visíveis desse mal, que é uma das doenças neurodegenerativas mais importantes. O cérebro humano permanece um mistério e o Parkinson, como reivindicado por muitos neurologistas, é como se um grupo de neurônios morrem ou decidem "cometer suicídio", mesmo sem saber o porquê. No entanto, a pesquisa genética abre uma porta de esperança para a superação da doença.

O documentário tem uma carga humana considerável, por se desenvolver ao longo da vida e da experiência existencial de pacientes de diferentes idades que foram diagnosticados com Parkinson e que sofrem até hoje. Dois pacientes e seus neurologistas; Julho Juberías, um empresário e economista primeiro, e Diana Bustos, um psicólogo de 33 anos, juntamente com os seus médicos, Dr. Joaquin Ojeda e Dra. Maria Jose Catalan, mostram suas vidas diárias, a sua relação e sua luta contra a doença através de tratamentos paliativos e recursos disponíveis para tornar a sua vida mais agradável. Suas esperanças e frustrações, suas certezas e incertezas, estão permeando o curso do documento; a ciência médica se liga ao fator humano na esperança de que o pesquisadores encontrem um tratamento definitivo num futuro próximo.

O trabalho realizado com os pacientes em uma das organizações envolvidas no seu atendimento também é mostrado, a Associação Parkinson Madrid. Laura Carrasco, a diretora, diz-nos, com diferentes profissionais e pacientes, o progresso terapêutico e sociais alcançados em áreas como a psicologia, fisioterapia ou terapia da fala.

Paralelo à passagem da biografia de doentes de Parkinson, vamos ouvir o testemunho de médicos e pesquisadores que desenvolvem o seu trabalho neste campo; neurologistas Pedro Garcia Ruiz Espiga Jose Angel Obeso e Lydia Lopez, que especialmente em terapia genética colocaram a sua esperança de que em uma década de Parkinson possa ser uma doença curável. Original em espanhol, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: RTVE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário