quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Epidemiologia da doença de Parkinson: fatores de risco e prevenção

November 2016 - Resumo
Desde 2006, vários estudos longitudinais têm avaliado fatores ambientais ou comportamentais que parecem modificar o risco de desenvolver a doença de Parkinson. O aumento do risco de doença de Parkinson tem sido associado à exposição a pesticidas, ao consumo de produtos lácteos, à história de melanoma e lesões cerebrais traumáticas, ao passo que um risco reduzido tem sido relatado em associação com tabagismo, consumo de cafeína, uso de ibuprofeno e outros medicamentos comuns. Ensaios randomizados estão investigando a possibilidade de que alguns dos fatores de risco negativos possam ser neuroprotetores e, portanto, benéficos em indivíduos com doença de Parkinson precoce, particularmente com relação ao tabagismo, cafeína e urato. No futuro, pode ser possível identificar a doença de Parkinson na sua fase prodrômica e promover intervenções neuroprotetoras antes do aparecimento dos sintomas motores. No entanto, neste momento, a única intervenção que parece justificável para a prevenção primária da doença de Parkinson é a promoção da atividade física, que é provável que seja benéfica para a prevenção de várias doenças crônicas. Original em inglês, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: The Lancet.

Nenhum comentário:

Postar um comentário