segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Órgão defende laboratório que avaliou água de Governador Valadares

Rede Metrológica, responsável por habilitar laboratórios, garante laudo.
SAAE havia contestado serviço de laboratório que avaliou água da cidade.

05/09/2016 -O Ministério Público de Minas Gerais divulgou na tarde desta segunda-feira (5) nota da Rede Metrológica de Minas Gerais, órgão responsável pela habilitação dos laboratórios no estado, afirmando que a empresa Visão Ambiental, que fez levantamento sobre a qualidade da água do Rico Doce, em Governador Valadares (MG), está certificada e apta a prestar serviços.

“Questionada pelo Saae sobre a competência da empresa para a realização das análises, a RMMG esclareceu que a certificação de qualquer ensaio dos afiliados segue uma rígida metodologia regulada por normas técnicas pertinentes à atividade, sendo necessário o atendimento aos requisitos gerenciais e técnicos da ABNT NBR ISSO/IEC 17.025 - condição cumprida pela Visão Ambiental”, afirma o comunicado.

A nota é uma resposta ao questionamento do Serviço Autônomo de Água Esgoto (SAAE) sobre a aptidão do laboratório que emitiu laudo relativo que a água tratada de Governador Valadares. O laudo indicou que água estava imprópria para consumo devido à alta concentração de alumínio, que poderia provocar doenças degenerativas como Parkinson e Alzheimer.

A Prefeitura contestou o documento. A Prefeita Elisa Costa afirmou que laudos do SAAE e de outro laboratório credenciado pelo Inmetro garantiam a qualidade da água que chega até à população. Na mesma ocasião, o diretor-geral do SAAE, Carlos Apolinário, sugeriu erro técnico do laboratório contratado pelo MP, pois, supostamente, este não estaria habilitado pelo Inmetro a realizar o exame em questão.

Sobre essa acusação, a Rede Metrológica afirmou que “não é exigido para a certificação de um filiado qualquer reconhecimento por parte do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e que a empresa contratada pelo MPMG passou pelo devido processo de reavaliação periódico”.

O G1 procurou a assessoria de imprensa da Prefeitura de Governador Valadares, mas o expediente já havia sido encerrado e ninguém foi encontrado para comentar o caso. Fonte: Globo G1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário