domingo, 14 de agosto de 2016

Aqueles que consomem erva-mate tem menos Parkinson?

Erva e saúde. Pesquisa determinou que o consumo de erva-mate tem efeitos saudáveis sobre o corpo e certas doenças. Em 18 de agosto serão os dias

13/08 – A companheira Erva desempenha um papel benéfico em pessoas que têm a doença de Parkinson? A resposta a essa pergunta é o objetivo da pesquisa realizada com o apoio do Instituto Nacional de Yerba Mate (iným), Dras Irene Taravini do Laboratório Experimental de Neurobiologia da Universidade Nacional de Entre Ríos, e Emilia Gatto, o Fundação Instituto de Neurociências Buenos Aires, e será apresentado na próxima semana, durante a Terceira Conferência de Desenvolvimento Científico Outreach Yerba mate e Saúde, na cidade de Córdoba.

"Doença de Parkinson e consumo de erva-mate, desde a epidemiologia à evidência básica" é o título da pesquisa que as médicas Taravini e Gatto irão apresentar em 18 de agosto na divulgação Terceira Jornada Científica erva-mate e Saúde, será realizada no Auditório da Aula K da Faculdade de Odontologia, organizado pela Escola de Nutrição da Faculdade de Medicina da Universidade Nacional de Córdoba, e iným.

Na entrevista a seguir, ao Dra. Gatto-nos sobre sobre o andamento da investigação:

Em que estágio está a pesquisa?
A nossa investigação sobre o efeito do consumo de "mate" em um modelo de roedor experimental da doença de Parkinson está na fase inicial do modelo de desenvolvimento da degeneração progressiva dos neurônios dopaminérgicos, que são principalmente afetados nesta doença. Além disso, estão atualmente a realizar um desenvolvimento piloto da melhor experiência em condições para assegurar que os animais tomam infusão em água obtida a partir de análise erva-mate comercial se o consumo de mate tem um efeito psicoativo da dose consumida afetar o comportamento locomotor dos animais, o que demonstra pela estimulação da locomoção destes.

Quais são os resultados?
Como a investigação está em seus estágios iniciais, até agora temos feito o primeiro grupo experimental de animais feridos para caracterizar o modelo da doença de Parkinson, ainda permanecendo caracterizar o modelo animal a partir do ponto de vista bioquímico-molecular para assim reajustar parâmetros experimentais ou utilizar essas condições, como base para as próximas experiências.

É verdade que eles têm observado que aqueles que consomem erva-mate representam um risco menor de desenvolver a doença de Parkinson do que aqueles que não bebem o chimarrão?

Sim, isso é assim um estudo de caso-controle, recentemente, o grupo da Dra. Gatto relatou uma associação inversa entre o consumo de mate e o risco de desenvolver Parkinson (OR 0,64, IC 95% = 0,54-0,76 , p = 0,00001) 1. Embora o fator genético seja considerado o mecanismo causal mais importante de doença de Parkinson, os fatores ambientais podem influenciar a sua expressão. Os resultados obtidos neste trabalho permitem propor consumo hipotético da erva-mate como um potencial fator de proteção para o desenvolvimento da doença, expressão e / ou progressão do Parkinson.

Quais são os próximos passos? Determinar as propriedades de erva-mate que afetam Parkinson?
O próximo passo é determinar, em primeiro lugar, quer num modelo de doença de Parkinson in vivo, se beber mate tem um efeito neuroprotetor de neurônios dopaminérgicos, que degeneram na doença para prevenir ou retardar a morte neuronal ou o consumo de compostos farmacologicamente ativos na erva-mate simplesmente proporcionam um alívio sintomático dos sintomas da doença. Em segundo lugar, confirmando um benefício na sobrevida dos neurônios do sistema dopaminérgico, analisamos os possíveis mecanismos bioquímico-moleculares envolvidos neste processo de neuroproteção. Entre eles, considera-se que os seus componentes bioativos, particularmente xantinas produzem um efeito antagonista dos receptores de adenosina A2 irão não só melhorar os sintomas motores, mas também reduzir as discinesias, este mecanismo seria semelhante ao descrito com o consumo de café. Um outro objetivo inclui avaliar um efeito neuroprotetor diferente à cafeína, hipotetizandose sobre os mecanismos inflamatórios, fatores neuroprotetores e estimulação dos mecanismos de degradação de proteínas de autofagia mediada por estimulantes.

Na Reunião Científica 18
A Terceira Conferência de Ciência Popular e Saúde Yerba Mate será em 18 de agosto, às 9, na Escola de Nutrição da Faculdade de Medicina da Universidade Nacional de Córdoba. Ela terá duas seções principais: "Propriedades Funcionais da erva-mate" e "A erva-mate e seu efeito protetor em doenças metabólicas e degenerativas." Principais pesquisadores e cientistas vão dividir o progresso e resultados de estudos sobre o produto e a saúde humana em áreas como a diabetes, perda de peso, Parkinson, efeito anti-inflamatório da infusão, ossos, polifenóis, nutricional e compostos bioativos.

Na primeira parte disertarão o Magister Ana Thea, da Universidade Nacional; Bioquímica Lucila Sánchez Boado, UNAM, eo Engenheiro Doutor Luis Brumovsky, UNAM. Além disso, Dr. Lucas Brun, da Universidade Nacional de Rosário; Rafael Perez Diego Elizalde e da Universidade de Messina Juan Agustin Maza, Mendoza; e Doutoras Nilda Perovic e Daniela Defago, Córdoba.

No segundo bloco, apresentará o Mestrado em Biotecnologia, Doutor Nelson Bracesco, do Uruguai; Dr. Georgina SPOSETTI de DIME Foundation; o Doctoras Camila Niclis e Dolores Romano, UNC; Dr. Claudia Albrecht e Dr. Elio Andres Soria, UNC; e Drs Irene Taravini de UNER e Emilia Gatto, Fundação para Pesquisa em neuroepidemiologia (FINEP).

O dia é destinado a estudantes avançados, graduados, acadêmicos, pesquisadores de nutrição, medicina, especializações e carreiras de cursos de pós-graduação relacionados, e o público em geral. O acesso é livre e gratuito. Os participantes receberão um certificado. A pré-inscrição pode ser feito por e-mail a partir do Ministério da Ciência e Tecnologia: secytnutricion@fcm.unc.edu.ar ou pessoalmente na secretaria. Para mais informações, comunicar prasy@inym.org.ar. Original em espanhol, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: Primera Edicion.

Nenhum comentário:

Postar um comentário