sábado, 18 de junho de 2016

Modelagem compartimental de imagens F-DOPA PET a partir de doentes de Parkinson

A doença de Parkinson é a segunda condição neurodegenerativa mundial com mais de 4,6 milhões de casos. Positron Emission Tomography (PET), em combinação com modelos compartimentais (CM) tem sido utilizado para melhorar o diagnóstico clínico, fornecendo parâmetros quantitativos para vários distúrbios neurológicos. Neste trabalho, foi implementado um protocolo de aquisição de imagens dinâmicas em dois períodos de tempo, com dados adquiridos nos tempos pós-injeção precoces e tardias. Foram também avaliadas as métodos gráficos de Patlak e Logan [1,2] usando um modelo de tecido de referência para Parkinsonianos e pacientes Parkinsonianos atípicos obterem o influxo constante cinética (K i) e a relação de volume de distribuição (DVR). Os resultados aqui obtidos foram consistentes com estudos prévios e apoiar a utilidade destes métodos para diagnóstico médico. Original em inglês, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: Scitation.

Nenhum comentário:

Postar um comentário