domingo, 13 de março de 2016

Eu odeio a doença de Parkinson

por Klutzygecko
March 12, 2016 - Eu não posso acreditar que já faz dois meses desde que cheguei aqui. Quando entrei pela primeira vez a ideia era vir aqui muitas vezes para descarregar minha mente atravancada. Minha mente ainda está cheia de lixo com mais lixo sendo adicionado diariamente, e o problema é que eu continuo correndo contra o tempo. Trabalhar em tempo integral, cuidar dos meus animais de estimação e viajar para ver minha mãe gravemente doente têm tragado meu tempo precioso.

Às vezes eu desejo tempo apenas para acalmar e deixar-me aproveitar o momento, mas eu acho que cabe a mim para tentar resolver o meu tempo com sabedoria. Eu preciso aprender a relaxar e parar de me preocupar sobre as coisas que tenho nenhum controle.

Eu estou esperando por minha mãe morrer e colocar assim é que soa horrível, mas ela está sofrendo e meu pai está sofrendo ao observá-la sofrer. Ela está nos últimos estágios da doença de Parkinson e no mês passado, ela esteve em uma casa de repouso e foi internada no hospital 3 vezes que é onde ela está certamente agora. Ela mal consegue comer e tem dificuldades para engolir e está tão magra agora que além disso ela poderá ainda contrair infecções.

Se ela fosse um animal eu não iria deixá-la sofrer assim, mas porque ela é um ser humano com direitos que ela deve sofrer até o fim. Eu acho que, quando adultos, deveria ser permitido o direito de morrer com dignidade. Estarem acamados e incontinentes e vestindo fraldas adultas não é digno, é cruel.

Estou com medo de contrair a doença de Parkinson e eu não sei se há hereditariedade ou não, mas minha avó tinha isso também. Eu não quero acabar como minha mãe e se eu fizer isso vou fazer planos para morrer antes que chegue à fase onde minha mãe está.

Eu quero o controle sobre a minha vida até o fim. Original em inglês, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: Klutzygecko Thoughts.

Nenhum comentário:

Postar um comentário