segunda-feira, 21 de março de 2016

Empreendedor da semana: lutando contra Parkinson

Patricia e seu filho inventaram um dispositivo que visa ajudar os pacientes com este enfermidade, restaurando a independência.

21 de marzo del 2016 - No Chile, de acordo com o Plano Auge, existem 15 mil pacientes com Parkinson. No entanto, extra-oficialmente, os números falam de cerca de 35.000 pessoas que vivem com esta doença degenerativa, que afeta principalmente o sistema motor e para a qual não há cura.

Patricia Garcia é um nativo de Concepción que 40 anos foi diagnosticado com esta doença. Quando foi noticiado, entrou em colapso, mas decidiu fazer a batalha. Dezessete anos depois, é um dia para trazer ao mercado um dispositivo que visa ajudar as pessoas, que como ela, lutam todos os dias com o Parkinson.

Não Congelar é chamado o dispositivo que Patricia, juntamente com Miguel Pino, seu filho de profissão cinesiologista, inventaram para ajudar os pacientes a superar os bloqueios da enfermidade, um problema típico que compromete o controle e movimentação dos doentes. O dispositivo feito por esta mãe com seu filho emite luzes verdes que funcionam como marcas no chão.

"Não Congelar é um dispositivo de suporte técnico para a marcha, ele é projetado para pacientes com Parkinson usarem em suas vidas diárias e compensar, em algum nível, as dificuldades geradas pela doença em sua caminhada", diz Miguel.

A história do dispositivo começou cerca de quatro anos atrás, quando Patricia pensando em ideias para lidar com a doença. "Minha mãe, procurando maneiras de como sair do congelamento, descobriu que através de uma marca no chão e se concentrando nela, poderia deixar o bloco com mais facilidade. Ali começou", diz Miguel.

Foi assim que Patricia começou a pesquisar e olhando, se em algum lugar havia um dispositivo que permitiria a ele para marcar o chão no momento do acidente. "Investigando eu achei que havia um dispositivo com uma luz marcado no chão, na Inglaterra. Era um dispositivo que emitia uma luz vermelha, mas a luz vermelha não era vista em todos os lugares, somente dentro de casas e à noite. Com base em que eu comecei a projetar a idéia", diz ela.

Eles falaram sobre o assunto com sua família e alguns perto, ela recomendou a abordagem da Innova Bio Bio (agora parte do Productive Biobio Comitê de Desenvolvimento) para obter assistência em fazer o seu dispositivo. "Eu vim pensando, me guiaram e me ajudaram com os primeiros fundos para fazer o protótipo", diz a empresária.

Patricia diz que o apoio de seu filho Michael tem sido fundamental na criação do Não Congelar. "O apoio de Miguel foi incondicional nesta história. Ele me manda ideias porque eu trabalhei de uma forma muito desordenada. Ele me ouve, organiza, é concreto, é uma pedra angular na criação desta", diz ela. Ela enfatiza que "ele estudou cinesiologia porque gostava e quando eu disse-lhe a minha ideia, não hesitou em me ajudar."

Patricia é apresentada como uma mulher persistente, e ainda consegue viver da melhor maneira com a doença, mas isso não tem sido fácil. "Os primeiros oito anos da doença já são terríveis, mas com o tempo fica pior. Na idade em que aparecem verdadeira crise, tranca, há descompensação. Quando você pensa que já se acostumou com a doença, volta a zero", diz ela.

Sendo uma paciente ativa, diz Miguel, é muito importante para lidar com o aparecimento da doença. "Minha mãe tem a característica de ser uma paciente que não é permitido ficar com a doença, sempre tenta encontrar soluções e é bastante pró-ativa em sua própria saúde. Ela se preocupa com a doença, a fim de buscar uma melhor qualidade de vida. Essa é uma característica que foi vital para começar o projeto ", enfatiza Miguel.

Em relação à eficácia do dispositivo, Patricia diz que ela usa com freqüência e ele repetidamente a ajuda a se manter a pé. "Eu estou trazendo na sacola, sempre. Isso me ajuda, é um suporte de segurança, porque eu sei que posso sair e ter claro que eu sou capaz de voltar sozinho porque o laser eu posso ver em todos os tipos de piso. Sou independente ", diz ela.

O Não Congelar. Nenhum dispositivo será oficialmente lançado no final de março, mas diz Miguel, a produção será pequeno devido ao baixo capital. "Até agora temos trabalhado apenas com fundos públicos, que têm sido de uma grande contribuição. Mas olhando para a frente, nós fechamos não trabalhar com qualquer investidor para nos ajudar a avançar com o projecto ".

Com o lançamento do Não Congelar, Patricia sublinha que espera tornar a vida mais agradável com a doença. "Mesmo que você não tenha criado a ideia original do dispositivo, eu quero compartilhar para torná-lo acessível. Quando você tem esta doença acredita entrar num túnel escuro, sem fim, e estes tipos de coisas mostram-lhe que há esperança", conclui. Original em espanhol, tradução Google, revisão Hugo. Fonte: La Tercera.

Nenhum comentário:

Postar um comentário