quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Prefeito confirma fim do projeto Farmácia Popular em Belo Horizonte


Remédios já estão disponíveis nos centros de saúde da capital, diz DOM.
Reclamações de falta de medicamentos foram registradas este ano.
13/10/2015
Falta medicamento usado no tratamento de Alzheimer em MG
Falta remédio para controle da doença de Parkinson em BH
Falta benzilpenicilina nos postos de saúde de BH, diz secretaria municipal
O prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), revogou o decreto nº 12.150, de 30 de agosto de 2005, que determinava a criação de unidades da Farmácia Popular na capital mineira.
A edição deste sábado (9) do Diário Oficial do Município (DOM) confirma o comunicado publicado no dia 31 de dezembro de 2014 que autorizou os 147 centros de saúde e as oito farmácias distritais a distribuir gratuitamente os medicamentos do projeto.
De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), apenas oito dos 112 remédios disponibilizados pela Farmácia Popular eram oferecidos de graça. O cancelamento do convênio com o Ministério da Saúde foi feito porque os mesmos medicamentos já eram fornecidos pelo município.
Neste ano, pacientes reclamaram da falta de benzilpenicilina e remédios para o tratamento de Alzheimer e Mal de Parkinson nos centros de saúde e farmácias distritais. Segundo a SMSA, foram faltas pontuais provocadas por problemas com o fornecedor. Ainda de acordo com o órgão, no momento, não há escassez de medicamentos. Fonte: Globo G1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário